O Instituto Federal de Machado e os Concursos de Qualidade de Cafés

Novo cardápio no Lucca por Celso e Gabriela Freire
setembro 30, 2017
CarmoCoffees – Um Leilão de microlotes para ficar na história
setembro 30, 2017

O Instituto Federal de Machado, tradicionalmente foi o precursor na adoção e no ensino dos conceitos, técnicas e práticas de tudo que se refere a cafés especiais. O responsável por este movimento acadêmico é o Professor Leandro Paiva, da área da Industria e Qualidade do Café. As disciplinas oferecidas aos alunos vão desde técnicas de cultivo, colheita, processamento, torrefação, degustação e preparo de café. O Departamento de Industria e Qualidade, conta com uma completa infraestrutura. Lavoura de café, torrefação que presta serviço ao Instituto e a comunidade, laboratório completo de prova e cafeteria modelo. O Professor Leandro desenvolve pesquisas importantes junto com parceiros privados do setor, tendo vários equipamentos em linha de produção nas industrias que foram desenvolvidos através destas parcerias.

O relacionamento com o Professor Leandro com Georgia é antigo, e começou quase junto com o Lucca lá pelo ano de 2002, nos concursos de qualidade de cafés especiais verdes. Naquela época, eram raros os concursos de qualidade de cafés especiais, um dos mais antigos é o Concurso de Qualidade Cafés de Minas, organizado em parceria com a EMATER/MG. Nesta época a metodologia de prova da SCAA era novidade e havia poucos os provadores capacitados. Já nesta época o Instituto Federal de Machado era um dos poucos lugares que tinha um laboratório que permitisse a realização de um concurso importante como este. O Lucca era uma das únicas cafeterias e microtorrefação que comprava os microlotes de cafés especiais.

Hoje quase 15 anos depois, o Lucca continua atrás de microlotes em concursos de qualidade Brasil afora. Atualmente a realidade é bem diferente, muitas regiões se consolidaram como denominação de Origem e várias já pensam em obter a Indicação Geográfica. Todas elas hoje organizam seus concursos de qualidade, e para Georgia selecionar os lotes da safra, conta com as filhas Carolina e Camila para poder cumprir a extensa agenda dos concursos no período pós safra.

Com certeza, se não fosse a ação do Professor Leandro e o Instituto Federal de Lavras, muitos concursos não se realizariam, ou não teriam critérios viáveis para garimpar os melhores cafés da safra. Alguns números muito interessantes deste ano:

- Neste ano o Instituto provou as amostras de 8 concursos: CCOFFEE OF THE YEAR, MELHORES CAFÉS DE MINAS/EMATER, ALTO CAPARAÓ, BOTELHORS, AGUAS DA PRATA, COOPFAM E VULCÂNICOS DE POÇOS DE CALDAS.
- mais de 2600 amostras foram enviadas
- mais de 100 provadores profissionais foram mobilizados, todos fazendo trabalho voluntário
- mais de 550 sacas vão ser comercializadas como microlotes finalistas dos concursos
- centenas de estagiários e alunos do Instituto Tecnológico participaram como staff, namorar das amostras, organização das mesas de provas, na codificação das amostras e na compilação dos resultados

Se duvida sem a participação do Instituto Tecnológico de Machado e do Professor Leandro, a vida dos Coffee Hunters seria mais difícil!

Veja relato do Prof. Leandro Paiva do Instituto Federal do Sul de Minas campus Machado, do apoio aos concursos de qualidade de cafés especiais que acontecem nesta época no ano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *