Rio Brilhante x Lucca – Exercitando a 4º Onda do Café

Produtor: as 4 chaves para o sucesso na agricultura.
abril 8, 2017
No Limiar da Quarta Onda do Café
abril 9, 2017

Algumas oportunidades sempre fazem a diferença para as empresas e principalmente para as pessoas. O ano safra 2016/2017 foi muito especial para a Rio Brilhante Café de Origem.

Contar com os benefícios naturais faz toda a diferença quando o resultado final depende principalmente daquilo que a terra nos oferece. Localizada na Região do Cerrado Mineiro, com altitude aproximada de 1100 metros, marcada por um clima ameno e estações do ano bem definidas, perfeitamente favorável para a produção de café diga-se de passagem, as fazendas da marca Rio Brilhante, sob os cuidados da Família Urban, colheu literalmente excelentes resultados. Com processos inovadores e direcionados, somados aos esforços da equipe envolvida no trabalho, tivemos vários lotes especiais, das mais diversas variedades, expressando um original e autêntico café brasileiro. Com o nosso principal selo de qualidade, o Cerrado Mineiro, tivemos um lote que ganhou maior destaque fazendo com que toda a equipe Rio Brilhante se enchesse de orgulho.

Da variedade Catuaí 62 (amarelo), processado de forma natural, este lote foi uma grande conquista, pois abriu as portas para concursos e garantiu notoriedade dos cafés produzidos na fazenda. Mas como nomear um momento tão especial para a Rio Brilhante? Precisávamos dar um nome a esse lote, pois sabíamos de sua importância por ser muito especial e merecer um nome de peso. Uma homenagem a alguém que de forma gratuita colaborou com nossos processos e atuação, que nos inspirou a produzir cada vez mais sempre priorizando a qualidade. Foi então que decidimos presentear o lote que nos traria tanto reconhecimento como GEORGIA.

Durante a produção desse café tivemos um envolvimento enorme para entender quais as melhores condições que resultariam na melhor bebida. Quase um cuidado para encontrar a xícara perfeita. Aquela que ao ser tomada daria vontade de sempre querer um pouco mais. Após uma colheita manual dos melhores grãos, no estado cereja, esse café ficou durante 13 dias em terreiro, com revolvimentos diários e constantes. Assim que o sol saia e secava o orvalho de todas as manhãs, entrava o Sr. Donizete, apenas um de tantos protagonistas desta história, que com toda a sua presteza e dedicação mexia o café e o colocava em camada mais grossas, até que alcançar o ponto ideal. O café Georgia ficou 45 dias em descanso, em big bag, no armazém da fazenda. O cheiro que exalava do café era impressionante, de frutas maduras e doces.

Aguardamos ansiosamente por essa quarentena, até que o café foi beneficiado e finalmente degustado. Entendemos então que tudo o que é feito com cuidado e carinho para o café é devolvido pelo fruto. O café Georgia nos rendeu como finalistas de vários concursos de qualidade, nos garantindo ainda o 1º lugar no concurso Cerrad Coffee, ocorrido no Japão. Para a próxima safra, a Rio Brilhante já trabalha incansavelmente, para garantir que a qualidade “Georgia” alcançada com tanto trabalho e dedicação possa ser novamente alcançada, possibilitando que outros amantes do café possam apreciar uma bebida original do Cerrado e entender porque nosso café tem história e nosso sabor tem memória.

por Glauber Queiroz do Grupo Farroupilha

Um novo termo está se formando no mundo dos cafés especiais: a 4º Onda. A influencia do torrefador / barista nos processos de pós colheita já é uma realidade.

1 Comentário

  1. Estou acompanhando seu site a um bom tempo. Adoro seu site. Obrigado e te desejo muito sucesso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *